como ensinar meu filho que achado é roubado, achado não é roubado, valores infantis

Achado Não É Roubado. Mas Será Que Pode Ser Seu?

A ultima do João: “Mãe, achado não é roubado né?” Quem é mãe sabe que as coisas ditas por crianças não são à toa… de algum lugar ele tirou aquilo…

Bem, comecemos a investigação:

Eu: “será filho? por que você acha isso?”

Ele: “se eu achar um brinquedo no parque é porque a criança não quer mais né? ”

Eu: “mas e se a criança esqueceu no parquinho?”

Ele: “ah, mãe… se esqueceu é porque não gosta mais…”

Eu: “mas voce já esqueceu brinquedos que você gostava na casa de amigos…”

Ele: “mas mãe, na casa de amigo pode… no parque que não pode”… Oi?

Pois bem, já viram que argumento é o que não falta não é?

Na faculdade tinha um professor que dizia a seguinte frase: achado não é roubado, mas é apropriação de coisa achada, logo, é crime! … 

Claro que não ia dar essa explicação tão técnica para o João, mas quis deixar claro que não era correto ficar com um brinquedo achado.

Comecei pelo apelo sentimental, pedindo que ele imaginasse como seria se ele esquecesse o Megatrnonus (transformers do coração e do momento) no parque e outra criança levasse embora?

A resposta: “eu amo o Megatronus… não vou esquecer”…

Dado que a abordagem sentimental não estava funcionando, bora para o confronto mesmo!

Sim, João, achado é roubado sim filho…” sempre que você toma pra si algo que não é seu, alguém está sendo prejudicado e isso não é correto! Você gosta quando alguém te prejudica???

E não é que ele entendeu melhor assim… Na hora ele arregalou o olho pra mim e disse um longo e sonoro: Não, eu não gosto!! Recado dado!

Tenho aprendido o quanto temos que estar atentos na educação de nossos filhos… como pequenos “ditos populares” dão base a valores que não queremos passar para nossos pequenos!

 

Post Author: Deia Tomaz

Casada, mãe de 1, gestora e produtora de conteúdo dos blogs SeEUfizVCfaz e Igual Lá Em Casa

Participe!! Comente aqui!